Dr José Milfont Cirurgia Robótica no Leblon

CRM : 5243911-6

Currículo :

– Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia

– Diretor do Instituto de Urologia do Rio de Janeiro

– Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Adventista Silvestre

– Residência Médica em Urologia no Hospital dos Servidores do Estado – RJ

– Mestrado em Urologia pela Escola de Ciências Médicas da UERJ

– Presidente da Sociedade Brasileira de Urologia /RJ (2006 à 2007)

– Ex-diretor Técnico do Hospital Central do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro

– Autor do livro Urologia Minimamente Invasiva

– Membro Correspondente da Associação Americana de Urologia

Médico

Endereço : Rua Carlos Góis, 375 – sala 104

Bairro : Leblon – Rio de Janeiro, RJ

Telefones : (21) 2249-7892 | (21) 2249-7891 | (21) 3874-0915 / (21) 98696-7576

Site : http://www.urotech.com.br/index.php

Cirurgia Robótica

Cirurgia robótica ou cirurgia assistida por robô é um procedimento cirúrgico onde o médico opera através de um console tipo joystick.

Este tipo de cirurgia foi desenvolvido tanto para melhorar a capacidade dos cirurgiões realizando cirurgias abertas, quanto para minimizar o impacto em cirurgias minimamente invasivas.

Cerca de 80% das cirurgias robóticas são feitas por doenças ligadas à urologia e 20% pelo restante das demais especialidades médicas. A plataforma foi desenvolvida para cirurgia cardíaca para o procedimento de troca valvular, porém teve seu uso estendido à diversos outros casos cirúrgicos, a partir da urologia.

Vale ressaltar que hoje em dia, em mãos de cirurgiões habilitados e experientes, quase todas as cirurgias urológicas podem ser realizadas pela técnica robótica. Usando o Sistema Cirúrgico Da Vinci para uma cirurgia de Prostatectomia Radical (tratamento do Câncer de Próstata), por exemplo, são feitas seis incisões (de 0,5 cm a 1,0 cm) no abdômen do paciente que permitem a inserção de hastes de aço inoxidável. As hastes são mantidas no local por quatro braços robóticos. Uma das hastes é equipada com uma câmera, ao passo que as outras três são equipadas com instrumentos cirúrgicos capazes de dissecar e suturar tecidos. Ao contrário da cirurgia convencional, esses instrumentos não são tocados diretamente pelas mãos do médico.

Há poucos metros da mesa de operação, no console de controle, o cirurgião olha no visor para examinar as imagens em 3D, enviadas pela câmera no interior da paciente. As imagens em 3D, mostram o local da cirurgia e os instrumentos cirúrgicos instalados nas extremidades das hastes. Controles similares a joysticks localizados logo abaixo da tela são usados pelo cirurgião para manipular os instrumentos cirúrgicos. Cada vez que um dos joysticks é movido, o computador envia um sinal eletrônico para um dos instrumentos, que é movimentado em sincronia com os movimentos das mãos do cirurgião.