Dra Paula Freire Endocrinologista em Brasília

Dra Paula Freire Endocrinologista em Brasília

Dra Paula Freire Endocrinologista em Brasília

Dra Paula Freire

CRM DF 24821

Endocrinologista

Médica

Currículo :

Formação acadêmica
– Graduada em Medicina pela Universidade de Santo Amaro – São Paulo/SP- (2005-2010)
– Residência Médica em Clínica Médica pelo Hospital Santa Marcelina – São Paulo/SP – (2012- 2014)
– Especialista em Endocrinologia e Metabologia pelo Hospital Santa Casa de Misericórdia de São Paulo (2014 -2016)
– Título de Especialista em Endocrinologia e Metabologia – SBEM
– Membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM)
– Membro da Endocrine Society

Área de atuação
– Obesidade e Sobrepeso
– Distúrbios em Gônadas – Dentre elas deficiência em testosterona e Síndrome do Ovário policístico (SOP)
– Dislipidemia – Distúrbios que cursam com alteração do colesterol, entre elas elevação de triglicérides, elevação de LDL e elevação de colesterol total.
– Diabetes – Distúrbios do metabolismo da glicose, inclui a pré diabetes, diabetes mellitus tipo I, diabetes mellitus tipo II, diabetes gestacional, diabetes MODY, diabetes LADA.
– Doenças da Tireoide – Doenças como hipotireoidismo, hipertireoidismo e Nódulos da tireoide.
– Doenças do Osso – Alterações da massa e microarquitetura óssea como osteopenia, osteoporose, deficiência de vitamina D.
– Doenças da Hipófise – “Glândula mestra” que comanda outras glândulas. Inclui doenças como Prolactinoma, Doenca de Cushing, Acromegalia, Adenoma não funcionante.
– Doenças da Adrenal – Glândula próxima ao rim que secreta hormônios. Engloba alterações com Insuficiência adrenal, síndrome de cushing, nódulo em adrenal.

Médica

Endereço : SGAS 610/611 – Bloco 1 – Sala 105 – Centro Clínico Lúcio Costa
Localidade : Asa Sul – Brasília – DF
Telefones : (61) 3346-1440 / (61) 98649-1001 (WhatsApp)
Atendimento às terças e sextas à tarde.

Site : www.primantis.com.br

3

Alteração no Colesterol e Triglicérides (Dislipidemia)

Dislipidemia é o nome dado às alterações nas concentrações plasmáticas dos lipídios, podendo se manifestar por aumento ou diminuição de colesterol e triglicerídeos.

De acordo com a sua etiologia, as dislipidemias podem ser classificadas como : primárias, quando decorrentes de alterações genéticas, ou secundárias, quando desencadeadas por outras doenças (obesidade, resistência à insulina, alterações hormonais), fatores ambientais
(alimentação, principalmente) ou intervenções medicamentosas.

Esta classificação é apenas didática, uma vez que o meio ambiente interfere acentuadamente na penetrância e no fenótipo das dislipidemias. Há também vários polimorfismos que influenciam os níveis de colesterol e de triglicerídios.

Médica
Gordura no fígado (Esteatose Hepática)

Esteatose hepática é o acúmulo de gordura no fígado, principalmente de triglicerídeos, com deposição em mais de 5% dos hepatócitos, este acúmulo de gordura pode desencadear uma reação inflamatória local, evoluindo o quadro para esteatohepatite não alcoólica (NASH).

Na população não obesa, a prevalência de esteatose hepática é de 15% (versus 65% em obesos graus 1 e 2, e 85% em obesos mórbidos), e a prevalência de esteatohepatite é de 3% (versus 20% em obesos grau 1 e 2, e 40% em obesos mórbidos).

O tratamento inicial da esteatose hepática tem como princípio o tratamento da obesidade, a perda de peso ajuda na redução da gordura hepática e não progressão da patologia.

Médico

Hipotireoidismo

O hipotireoidismo é uma síndrome clínica causada pela diminuição da quantidade ou da ação dos hormônios tireoidianos no corpo, resultando em queda do metabolismo e das atividades biológicas que dependem dos hormônios tireoidianos.

O quadro clinico caracteriza-se por cansaço, sonolência, falta de energia, pele fria e seca, cabelos finos e secos, fragilidade de unhas, cabelos, intolerância ao frio, ganho de peso modesto, principalmente em decorrência de retenção hídrica, dentre outras características.

A Tireoidite de Hashimoto é a causa mais frequente de hipotireoidismo primário (95% dos casos) ocorre pela destruição da tireoide por autoanticorpos presentes na tireoidite, assim, o tecido tireoidiano deixa de ser capaz de produzir os hormônios triiodotironina (T3) e tiroxina (T4) em quantidades suficientes.

Hipotireoidismo subclínico é o nome dado à condição quando o TSH se encontra elevado, mas com níveis séricos normais de hormônios tireoidianos (T4 livre normal).

Ou seja, apesar de o nome subclínico remeter à ausência de sinais ou sintomas, o diagnóstico de hipotireoidismo subclínico é bioquímico e depende dos valores de TSH e T4 livre, e não da presença ou ausência de sintomatologia compatível com hipotireoidismo. O hipotireoidismo subclínico pode vir acompanhado de sintomatologia, mas ela geralmente é inespecífica e leve.

Leave a Comment

*Required fields Please validate the required fields

*

*